quinta-feira, 10 de maio de 2018

Índice CEAGESP apresenta forte alta nos preços dos alimentos

                    Resultado de imagem para coentro

O volume comercializado no quadrimestre apresenta crescimento pífio de 0,98%. O coentro teve recorde de aumento, de 258,3%. 

O Índice de preços da CEAGESP encerrou o mês de abril com forte alta de 7,10% em relação ao mês anterior. A quantidade de chuvas ficou muito abaixo da média histórica para o período. No entanto, foram as fortes chuvas do final de março que prejudicaram as culturas, principalmente as de legumes e verduras, com grande reflexo na qualidade dos produtos, provocando altas generalizadas no início de abril. O único setor que registrou baixa foi o de pescados.

Em abril, o setor de frutas registrou alta de 2,66%. As principais altas ocorreram nos preços da uva rubi (26,6%), do morango (25,7%), do abacate fortuna (25,4%), do mamão formosa (23,9%) e da uva benitaka (19,9%). As principais baixas ocorreram com o maracujá doce (-18,4%), com o maracujá azedo (-16,2%), com o mamão havaí (-13,9%), com a atemoia (-13,9%) e com o kiwi estrangeiro (-13,7%).

O setor de legumes registrou forte alta de 19,41%. As principais altas ocorreram com o pepino japonês (40,7%), com o maxixe (32,0%), com a abobrinha italiana (31,9%), com o jiló (31,8%), com o chuchu (25,6%) e com a beterraba (24,0%). As principais baixas ocorreram com os preços da abóbora seca (-7,1%), da ervilha torta (-6,3%), do cogumelo shimeji (-4,6%) e do pimentão vermelho (-4,6%).

O setor de verduras apresentou expressiva alta de 46,96%. As principais altas ocorreram com o coentro (258,3%), com as alfaces crespa (110,2%), lisa (93,9%) e americana (82,0%), com a salsa (77,4%), com a escarola (61,1%) e com o brócolos (59,7%). Registramos apenas uma baixa entre os produtos pesquisados: o orégano (-2,1%).

O setor de diversos apresentou alta de 3,18%. As principais altas ficaram por conta da cebola nacional (44,9%), do alho estrangeiro chinês (5,8%) e do coco seco (3,1%). As baixas foram registradas nos preços dos ovos brancos (-5,2%), da canjica (-4,4%), dos ovos vermelhos (-4,3%) e do alho nacional (-3,5%).

O setor de pescados teve baixa de 2,70%. As principais baixas ocorreram com a tainha (-25,4%), com a sardinha (-21,8%), com o polvo (-20,5%), com o camarão ferro (-12,5%) e com o atum (-11,8%). As principais altas ocorreram com o salmão (16,7%), com a anchova (10,9%), com a lula congelada (8,0%) e com a pescada maria mole (7,7%).

O volume comercializado no entreposto de São Paulo totalizou, no primeiro quadrimestre deste ano, 1.099.374 toneladas, ante 1.088.638 toneladas negociadas no mesmo período de 2017. Crescimento de 0,98%, influenciado, principalmente, pelos setores de frutas e legumes, que apresentaram crescimento de 12,2% e 6,3%, respectivamente. O volume comercializado no mês foi da ordem de 274.957 toneladas e registrou um aumento expressivo de 8,5% em comparação a abril de 2017, quando atingiu 253.472 toneladas.

O Índice CEAGESP fechou o mês de abril com forte alta, de 7,10%, por conta das altas nos preços dos setores de legumes e verduras, que estavam com bons preços no mês anterior. No acumulado do ano, temos alta de 7,73%. Para este mês de maio, prevemos o início de uma redução nos preços devido ao abrandamento do calor e menor risco de chuvas fortes. São previstas precipitações de chuvas em torno da média para o mês.

Índice CEAGESP

Primeiro balizador de preços de alimentos frescos no mercado, o Índice CEAGESP é um indicador de variação de preços no atacado de Frutas, Legumes, Verduras, Pescado e Diversos. Divulgados mensalmente, os 150 itens da cesta foram escolhidos pela importância dentro de cada setor e ponderados de acordo com a sua representatividade. O Índice foi lançado em 2009 pela CEAGESP, que é referência nacional em abastecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário