quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Que bacalhau é esse?

                       

Vigilância Sanitária do Rio começa inspeções contra fraudes com bacalhau. Apenas o do Porto e o imperial são considerados bacalhau verdadeiros.


Equipes da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio começaram, nesta segunda-feira (1/12), a fazer inspeções especiais de Natal e Réveillon. O objetivo é verificar as condições sanitárias dos locais de venda e irregularidades, como fraudes em anúncios de venda de bacalhau. Segundo Luiz Carlos Coutinho, superintendente de Alimentos da Vigilância Sanitária municipal, apenas duas espécies podem ser chamadas assim:

- É o caso do Gadus morhua, chamado de bacalhau do Porto, e do Gadus macrocephalus, conhecido como Portinho ou Imperial. O Saithe, o Ling e o Zarbo não são bacalhau, são peixes secos - exemplifica Coutinho.


O especialista dá dicas sobre como identificar a venda inadequada. Confira:

Gadus morhua

O chamado bacalhau do Porto é o mais caro e considerado o de melhor qualidade. O lombo é grosso, mede de sete a oito centímetros, e, por isso, tem mais carne. A cor característica é branco palha. Solta lascas

Macrocephalus

O lombo é mais fino, de cinco a seis centímetros, e tem coloração mais amarela.

Outros

O Saithe, o Ling e o Zarbo são peixes salgados e secos. A Vigilância Sanitária autoriza a comercialização com o nome “peixe ou pescado tipo bacalhau”. O órgão também alerta que há comerciantes que cortam, com tesoura, o rabo desses peixes, para parecerem bacalhau.

Troca de sal

Lavar e ressalgar o bacalhau é uma prática proibida porque mascara o real estado de conservação. Se o consumidor encontrar sal fino ou manchas escuras ou avermelhadas, houve alteração.

As inspeções da Vigilância Sanitária vão até o dia 30 de dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário