terça-feira, 24 de novembro de 2015

Fruticultura irrigada desperta atenção no Rio

                

Excursão com agricultores de Itaocara, município do Noroeste fluminense, mostra na prática que plantio diversificado de frutas é opção mais rentável

Oito produtores rurais de Itaocara participaram na última semana de uma excursão promovida pelo Programa Rio Rural, da secretaria estadual de Agricultura, e pela Emater-Rio, com o objetivo de divulgar novas técnicas de plantio e incentivar a diversificação de culturas. Os locais visitados foram o Sítio Providência, da microbacia Córrego Liberdade, em Carabuçu, e a Fazenda Califórnia, da microbacia Córrego de Santo Eduardo, em Mutum de Cima, ambos distritos de Bom Jesus do Itabapoana, também no Noroeste do estado.

- Todos esses produtores são olericultores, plantam hortaliças como quiabo, tomate e jiló e estão tendo a oportunidade de ver de perto plantações de frutas como goiaba e uva. Eles, que já recebem incentivos do Rio Rural, têm agora o apoio necessário para essa diversificação de plantio. A fruticultura irrigada é incomum em Itaocara, mas já está sendo incorporada pelos agricultores e, por meio do programa, alguns já plantam coco, graviola e banana - informou o extensionista da Emater-Rio e técnico executor do Rio Rural, Evanildo Rangel Junior, que participou da excursão.

A demanda por frutas é crescente no mercado e a fruticultura irrigada é a atividade agrícola que mais vem se expandindo nos últimos anos. Por utilizar uma irrigação de baixa pressão, o sistema proporciona economia de água, gera aumento na produção e oferece frutos de melhor qualidade. A inovação, segundo Evanildo, fica por conta da fertirrigação, uma técnica de adubação que utiliza a água para levar nutrientes ao solo cultivado.

- Dependendo do tipo de plantação é feita a escolha do sistema de irrigação mais conveniente, podendo-se utilizar técnicas como microirrigação (por gotejamento) ou por microaspersão (com intervalo de irrigação), diminuindo também a mão de obra - destacou.

Motivação

Com os incentivos do Rio Rural, os agricultores se sentem motivados a melhorar suas atividades, aumentando seus ganhos e fortalecendo as cadeias produtivas. Foi pensando assim que o produtor Luciano Figueira Faria, da microbacia Valão do Barro Preto, de Itaocara, resolveu expandir seus negócios.

- Estou participando dessa excursão para aprender mais sobre as práticas do cultivo de frutas e os tipos de irrigação. Além das hortaliças, já estou com uma lavoura de graviola e, com o incentivo do Rio Rural, venho melhorando a irrigação do meu pomar. Estou agora vendo outras culturas para investir mais. Pretendo cultivar também banana prata - disse.

Quem já expandiu suas atividades, de olho no mercado consumidor, dá o exemplo. É o caso dos produtores Paulo Couto de Almeida, proprietário do Sítio Providência, da microbacia Córrego Liberdade, um dos lugares visitados pela excursão, e Sandro José de Souza Abreu, seu sócio.

- Trabalhamos com goiabas cortibel e paluma e também na agroindústria, com a fabricação de goiabada e outros doces. Por meio do Frutificar e do Rio Rural estamos implantando novas tecnologias; inclusive já temos uma bomba melhor para irrigação do pomar - explicou Paulo Almeida.

Nas plantações de goiaba de Bom Jesus do Itabapoana, os produtores de Itaocara puderam observar os cuidados e as práticas adotadas para um cultivo rentável. O produtor José Alberto Muniz Monteiro, da microbacia Valão do Pati, em Itaocara, foi um dos mais interessados.

- Já estou produzindo goiaba e limão e com os recursos do Rio Rural vou adquirir novas mudas. Também quero plantar coco e investir na apicultura - frisou.

O amigo dele, Gerson Fagundes Moreira, da microbacia Valão do Papagaio, trabalha com hortaliças, mas quer começar a diversificar com o plantio de frutas.

- Acho muito importante os incentivos que temos do programa para investir em nossas lavouras. Quero adquirir uma bomba para irrigação e estou aqui hoje para ver e depois poder aplicar essas técnicas de plantio na minha propriedade - contou o produtor.

Na Fazenda Califórnia, da microbacia Córrego de Santo Eduardo, em Mutum de Cima, os agricultores visitaram plantações de uvas Niagara Vermelha e Isabel. Lá puderam verificar novas técnicas de plantio que vêm dando ótimos resultados.

O produtor rural Jari Alexandre de Souza, da microbacia Valão do Pati, que cultiva apenas tomates, pensa também em diversificar sua lavoura.

- Quero investir em outro tipo de plantio, como o de frutas. Com os incentivos, pretendo adquirir uma bomba para irrigação. Essa ajuda é essencial - acrescentou.

O mesmo relatou o produtor Cristiano de Barcelos Silva, da microbacia Valão do Pati.

- Com o Rio Rural vou adquirir uma boa roçadeira para minha propriedade - mencionou.

A visita a Bom Jesus do Itabapoana teve a participação de produtores de três microbacias de Itaocara: Valão do Pati; Valão do Barro Preto e Valão do Papagaio.

Sustentabilidade dos sistemas produtivos

O Rio Rural investe na orientação técnica e oferece incentivos financeiros para a melhoria da qualidade da produção, integrando práticas de preservação ambiental nas propriedades. Extensionista da Emater-Rio, Evaldo Gonçalves Júnior diz que todos os agricultores recebem recursos do Rio Rural para projetos como conservação do solo, preservação de áreas de recarga e proteção de nascentes. Ele explica que os investimentos são complementados por atividades como excursões, reuniões técnicas, demonstração de métodos e fomento à aquisição de plantas de melhor qualidade.

- No processo de diversificação de culturas e introdução de novas tecnologias, boas práticas ambientais fazem toda a diferença. Oferecer aos produtores noções agroecológicas desperta neles um maior interesse em investir no campo - concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário